17 de jan de 2012

Cacos...


Cacos...

Sou apenas cacos, do que um dia fui!
Antes um cristal translucido e brilhante...
Hoje, vidro embaçado em pedaços mal recortados!
Não sei se ao me olhar no espelho,
vejo o reflexo disforme de uma alma amargurada...
Ou apenas a visão real, de algo em que me transformei!

Guerreira



Um comentário:

  1. Eu gosto muito deste poema.
    Transmiti um sentimento forte de uma pessoa fraca(triste,sem valor para viver)

    ResponderExcluir